Governo faz austeridade "nas costas" dos cidadãos, cativações demonstram-no
Sexta, 04 Agosto 2017 15:50    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

joao almeida conf imprensa

O CDS-PP acusou hoje o Governo de fazer "austeridade nas costas dos portugueses", pedindo os centristas uma alteração à lei de enquadramento orçamental para se saber no detalhe "onde não está a ser gasto o dinheiro" do Orçamento.

"O Governo faz austeridade nas costas dos portugueses, o que entendemos ser perverso", advogou o deputado centrista João Almeida, em declarações à agência Lusa no dia seguinte a saber-se que 2016 foi o ano em que houve maiores montantes cativados (1.746,2 milhões) dos últimos oito anos.

"Temos uma iniciativa para que isso não se possa repetir", prosseguiu o parlamentar do CDS-PP, referindo-se a um projeto de lei, para se debater antes das discussões do Orçamento do Estado para 2018, onde é pedido que nos boletins de execução orçamental mensais sejam incorporados os valores "ministério a ministério, organismo a organismo" que estão a ser cativados.

"O Orçamento [de 2016] que foi aprovado na Assembleia da República pelo PS, PCP e BE não foi o orçamento executado. Os portugueses não tiveram acesso ao que estava previsto que tivessem, nomeadamente em áreas como a Saúde", criticou ainda João Almeida.

O ano de 2009 foi aquele em que houve montantes cativados menores (624 milhões de euros) e 2016 foi o ano em que houve maiores montantes cativados (1.746,2 milhões), nos últimos oito anos, segundo a UTAO.

Na nota sobre a execução orçamental até junho, em contabilidade pública, a que a Lusa teve acesso na quinta-feira, a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) analisou as cativações de despesa feitas pelos vários governos ao longo dos últimos oito anos e concluiu que, "para o período analisado, os montantes cativados variaram entre um valor mínimo de 624 milhões de euros, em 2009, e 1.746,2 milhões de euros, em 2016".

Quanto à taxa de utilização, em 2013 foi de 66,5% já que "permaneceram apenas 252,2 milhões de euros por descativar" e, em 2010, foi de 40,3% quando "foram descativados 554,4 milhões de euros e permaneceram por utilizar 822,9 milhões de euros.

Olhando para o ano passado, verifica-se "uma taxa de utilização de 46%", uma vez que foram descativados 803,6 milhões de euros, tendo ficado por utilizar até ao final do ano 942,7 milhões de euros.

A cativação de dotações de despesa consiste na "retenção de verbas" já previstas no Orçamento do Estado, que se traduz numa "redução da dotação utilizável pelos serviços e organismos", na medida em que a sua libertação - a chamada descativação - "é sujeita à autorização do Ministro das Finanças, que decide em função da evolução da execução orçamental e das necessidades de financiamento".

Dentro dos cativos totais, há a reserva orçamental, que corresponde a uma percentagem do orçamento de cada serviço e está inserida no agrupamento 'outras despesas correntes', e além disso, há ainda a dotação provisional, concentrada no Ministério das Finanças, e que serve para fazer face a despesas imprevistas e inadiáveis, sendo que "tanto os cativos como a dotação provisional atribuem uma margem de discricionariedade e flexibilidade ao processo de gestão orçamental".

Na Conta Geral do Estado (CGA) de 2016, a Direção-Geral do Orçamento deu conta de que houve 942,7 milhões de euros em cativos finais no ano passado, uma situação relativamente à qual o ministro das Finanças, Mário Centeno, foi questionado no parlamento por todos os partidos da oposição, incluindo os que apoiam o Governo na Assembleia da República.

 

História CDS

user4_pic

Conheça a história do Grupo parlamentar do CDS.

Parlamento Direto

bancada copy

Videos do Plenário, comissões e outras intervenções.

Iniciativas CDS

1 reuniao gp

Projectos de Lei e Projectos de Resolução apresentados pelo Grupo Parlamentar.

Deputados CDS

News image

Assunção Cristas

Círculo Eleitoral Leiria Presidente do CDS-PP

News image

Nuno Magalhães

Círculo Eleitoral Setúbal Presidente do Grupo Parlamentar Vice-Pres...

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Vice-Presidente do Grupo Parlamentar Vic...

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga Vice-Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Hélder Amaral

Círculo Eleitoral Viseu Vice-Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Teresa Caeiro

Círculo Eleitoral Faro Vice-Presidente da Assembleia da República

News image

António Carlos Monteiro

Círculo Eleitoral Aveiro Secretário da Mesa da Assembleia da Repúblic...

News image

Álvaro Castello-Branco

Círculo Eleitoral Porto

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Filipe Anacoreta Correia

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Filipe Lobo d'Ávila

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Ilda Araújo Novo

Círculo Eleitoral Viana do Castelo

News image

Isabel Galriça Neto

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

João Rebelo

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Patrícia Fonseca

Círculo Eleitoral Santarém

News image

Pedro Mota Soares

Círculo Eleitoral Porto

News image

Vânia Dias da Silva

Círculo Eleitoral Braga