CDS questiona Governo sobre ambulâncias retidas na urgência de Viseu por falta de macas
Quinta, 21 Novembro 2019 13:10    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

inemNuma pergunta dirigida à Ministra da Saúde, a deputada Ana Rita Bessa quer saber se se confirma que tem havido ambulâncias retidas na urgência de Viseu por falta de macas, se o problema é falta de macas, quando serão adquiridas novas macas para o Hospital de São Teotónio e, ainda, que medidas estão a ser tomadas para que esta situação não volte a verificar-se.

Ana Rita Bessa questiona depois quando terão início as obras de ampliação do Hospital de São Teotónio e se a ministra pode assegurar que com a retenção de ambulâncias no serviço de urgência do Hospital de São Teotónio não está em causa a prestação de socorro às populações da área de referência desta unidade de saúde.

Várias notícias deram conta, nos últimos dias, de que as ambulâncias do INEM estão a esperar várias horas nas urgências do Hospital de São Teotónio, em Viseu, porque não há macas para transferir os doentes.

O problema obrigou a que rede de emergência fosse alargada na tarde de segunda-feira, tendo havido casos em que as vítimas esperaram mais de 30 minutos pelo socorro do INEM, já que a retenção das ambulâncias durante várias horas inviabiliza a disponibilidade destes meios para a prestação de emergência médica.

O Grupo Parlamentar do CDS já por várias vezes questionou o Governo sobre os problemas que afetam o Serviço de Urgência do Hospital de São Teotónio, nomeadamente o facto de receber mais de o dobro dos doentes para os quais tem capacidade, com tempos de espera superiores ao desejado para um serviço de qualidade.

A causa não é apenas a falta de recursos humanos – nomeadamente médicos e assistentes operacionais – mas será, principalmente, o espaço subdimensionado da urgência cuja estrutura física não suportará o movimento de utentes que ali recorre.

O projeto de ampliação do Hospital de São Teotónio foi aprovado há quatro anos, mas, apesar da manifesta necessidade, ainda não avançou. As obras, que deveriam ter sido lançadas em agosto, ainda não têm data oficial.

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Assunção Cristas

Círculo Eleitoral Lisboa Presidente do CDS-PP

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga