João Pinho de Almeida quer medidas para combater praga do Jacinto-de-água no distrito de Aveiro
Segunda, 16 Dezembro 2019 11:35    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

jacinto de agua aveiroNuma pergunta enviada ao Ministro do Ambiente e Ação Climática, o deputado do CDS João Pinho de Almeida quer saber se a tutela está em condições de revelar quais os cursos de água que, no distrito de Aveiro, estão afetados pelo jacinto-de-água e que medidas estão a ser tomadas, a nível nacional e, especificamente no distrito de Aveiro, para contenção e remoção do jacinto-de-água nos cursos de água afetados.

João Pinho de Almeida questiona também, não sendo possível a sua erradicação, que medidas estão a ser tomadas pelos organismos competentes – nomeadamente a Agência Portuguesa do Ambiente e o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas – para combater esta praga e evitar novas invasões, e que intervenções foram já realizadas e com que resultados.

O deputado do CDS quer ainda saber se é verdade que já foram realizados em Portugal testes com gorgulhos para controlar o jacinto-de-água, e se sim, com que resultados, e se é verdade que esta forma de controlo ainda não está autorizada, e se, tendo o resultado sido positivo, por que motivo ainda não foi autorizada a utilização de gorgulhos para combater e erradicar o jacinto-de-água dos rios portugueses afetados.

O jacinto-de-água (Eichornia crassipes) é considerada uma das plantas invasoras aquáticas mais problemáticas em Portugal. A sua beleza é ilusória, já que se trata de uma planta extremamente resistente, que aguenta grandes alterações ambientais e que compete com as espécies autóctones, impedindo a entrada de luz solar e a oxigenação da água, com graves consequências para a fauna e a flora dos cursos de água afetados.

Além disso, reproduz-se de forma extremamente rápida devido à sua elevada capacidade de reprodução vegetativa e das suas sementes. No espaço de um mês, um indivíduo desta espécie pode produzir entre 50 e 70 outros, de acordo com um plano para o controlo do jacinto-de-água no rio Sorraia elaborado pela Administração da Região Hidrográfica do Tejo e Oeste, que está sob tutela da Agência Portuguesa do Ambiente.

No distrito de Aveiro, o jacinto-de-água ocupa já uma parte muito significativa de vários leitos, com graves prejuízos para os sistemas de regadio agrícola afetos aos cursos de água e afluentes, nomeadamente nos concelhos de Aveiro, Águeda e Oliveira do Bairro.

O combate à praga do jacinto-de-água é da responsabilidade do Ministério do Ambiente e Ação Climática, como recentemente frisou o Presidente da Câmara Municipal de Aveiro a propósito deste grave problema que afeta a Pateira do Carregal. De acordo com declarações reproduzidas pela comunicação social, o problema do combate, ou da ausência dele, radica na falta de meios, técnicos e financeiros, para proceder às intervenções devidas.

Efetivamente, o controlo do jacinto-de-água é muito dispendioso e difícil e, segundo especialistas, é muito importante apostar na sua deteção precoce, já que caso seja necessário remover o jacinto-de-água, nos casos mais graves, isso só é possível por via mecânica, com ceifeiras aquáticas.

Recentemente, numa reportagem do jornal Público, uma investigadora assinalou, no entanto, que se deveria começar a pensar no controlo biológico, como com gorgulhos e fungos, já usado na América do Sul e na África do Sul. De acordo com a reportagem, em Portugal também já foram realizados testes com gorgulhos para controlar o jacinto-de-água, mas esta forma de controlo ainda não está autorizada.

A preocupação com o aumento desta espécie em todo o país levou mesmo a Assembleia da República a aprovar vários projetos de resolução no sentido de recomendar ao Governo um plano nacional para a sua erradicação.

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga