CDS-PP insta Governo a reforçar número de camas e equipas de cuidados paliativos
Quarta, 04 Março 2020 15:33    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

cuidados continuados“O CDS-PP entende ser da maior pertinência – e urgência – que o Governo tome medidas concretas e eficazes para assegurar o acesso a cuidados paliativos a todos os doentes que deles necessitam”, lê-se um dos quatro projetos de resolução apresentados pelo CDS-PP. Além do reforço do número de camas e equipas de cuidados paliativos, os democratas-cristãos querem ainda um reforço nas diárias nas unidades de cuidados continuados integrados e na formação de profissionais para a área de cuidados paliativos em Portugal.

O CDS-PP insta o Governo a reforçar de forma “urgente” o número de camas e equipas de cuidados paliativos, de forma a “assegurar a cobertura nacional tanto nos serviços hospitalares e ao domicílio”. O grupo parlamentar democrata-cristão quer ainda um reforço nas diárias nas unidades de cuidados continuados integrados e na formação de profissionais para a área de cuidados paliativos em Portugal.

“O CDS-PP entende ser da maior pertinência – e urgência – que o Governo tome medidas concretas e eficazes para assegurar o acesso a cuidados paliativos a todos os doentes que deles necessitam”, lê-se um dos quatro projetos de resolução apresentados esta terça-feira pelo grupo parlamentar do CDS-PP na Assembleia da República, que incidem sobre cuidados paliativos e a sua necessidade de reforço.

Os democratas-cristãos citam um relatório do Observatório Português dos Cuidados Paliativos (OPCP) que dá conta de que, em dezembro de 2018, Portugal “dispunha apenas do equivalente a 66 médicos quando deveria haver pelo menos 496” e “243 enfermeiros quando deveriam existir 2.384”, registando-se ainda regiões onde não havia qualquer cobertura de cuidados paliativos.

Acresce ainda que, segundo dados citados pelo CDS-PP, “a maior parte dos profissionais de saúde que presta estes cuidados não está dedicada em exclusivo aos cuidados paliativos” e a mediana dos tempos de dedicação semanal a cada doente em cuidados paliativos é de cerca de 44,5 minutos na área da medicina e 82,5 minutos na da enfermagem.

“Numa área tão sensível, que presta cuidados a pessoas em fim de vida ou que estão em sofrimento extremo fruto de uma doença incurável e que precisam destes cuidados para aliviar esse sofrimento, por períodos que podem ir de anos a meses ou semanas, não é admissível que não seja disponibilizada, por parte do Governo, uma resposta adequada”, sublinha o CDS-PP.

O partido liderado por Francisco Rodrigues dos Santos pede, por isso, que o Governo proceda à abertura urgente das camas de cuidados paliativos em falta e proceda à constituição das equipas intra-hospitalares de suporte e equipas comunitárias de suporte em cuidados paliativos necessárias, sobretudo nas regiões de Aveiro, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Leiria e Vila Real.

O CDS-PP pede ao Governo para que aumente em 18 euros a diária em Unidades de Longa Duração e Manutenção e em 11 euros a diária em Unidades de Média Duração e Reabilitação. O CDS-PP sugere ainda que estes valores tenham uma majoração de 15% no caso de se tratar de Unidades de Cuidados Continuados Integrados que prestem serviços em territórios de baixa densidade populacional.

Os democratas-cristãos querem ainda que o Governo proceda ao aumento de 0,72 euros de diária para encargos com utilização de fraldas nas Unidades de Longa Duração e à “criação de um pagamento de 2 euros de diária para encargos de utilização de fraldas (que comprovadamente justifiquem) nas Unidades de Média Duração e Reabilitação”.

No que toca aos profissionais de saúde, o CDS-PP quer ainda que passe a haver uma formação pré-graduada obrigatória de Medicina Paliativa nas Faculdades de Medicina e nas Escolas de Enfermagem nacionais e que, em conjunto com a Ordem dos Médicos, possa ser criada a especialidade de Medicina Paliativa.

 
Fonte: O Jornal Económico
 

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga