CDS pressiona Governo a antecipar férias da Páscoa nas escolas
Quarta, 11 Março 2020 21:20    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

ana rita bessa capital ISHDepois de ter forçado o Parlamento a debater a resposta do país à crise do novo coronavírus, num debate de urgência marcado para esta quinta-feira, o CDS não desiste e pressiona também o Governo para antecipar o período de férias da Páscoa nas escolas — medida que o governo está a equacionar mas sobre a qual só haverá decisão esta tarde depois de uma reunião do Conselho Nacional de Saúde Pública.

O CDS deu entrada na mesa da Assembleia da República esta quarta-feira com um projeto de resolução que recomenda isso mesmo ao governo, argumentando que “a ameaça desta epidemia transformar-se em pandemia é cada vez mais real”, pelo que o Governo deve apostar tudo nas medidas preventivas para conter a propagação do vírus.

“Em Portugal, temos vindo a assistir ao encerramento de várias escolas e estabelecimentos de ensino, por todo o país, verificando-se, no entanto, que tais medidas são tomadas de forma casuística e pouco concertada”, lê-se no projeto de resolução do CDS.

Aos jornalistas, a deputada Ana Rita Bessa afirmou esta quarta-feira que Portugal deve seguir o exemplo de países como a Grécia, que tomou medidas abruptas nas escolas de forma a preventiva, mas com conta peso e medida. Ou seja, se as férias forem antecipadas, também cabe aos pais manter as crianças em casa, protegidas, e evitar locais públicos. “Senão contemos de um lado e propagamos do outro”, disse, admitindo que “é uma decisão difícil entre um bem maior e os transtornos que pode causar”.

Já esta terça-feira, o líder parlamentar centrista Telmo Correia tinha anunciado aos jornalistas que o CDS tinha marcado um debate de atualidade, de caráter urgente e potestativo, por entender que o Governo e as autoridades de saúde devem falar a uma só voz nesta fase de contenção do vírus, para evitar que haja desinformação e informações contraditórias.

A decisão sobre a antecipação ou não das férias escolares vai ser tomada esta tarde, sendo que António Costa já disse que acatará a decisão do Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP), seja ela “generalizar o encerramento das escolas” ou manter a opção de apenas encerrar aquelas onde “há focos de infeção e riscos de contaminação”. O funcionamento dos principais museus, e o seu possível encerramento, está também na agenda da reunião do Conselho.

“Adotaremos as medidas que os técnicos considerem ser justificado adotar. Não podemos ter cada um a sua opinião. Estamos a falar de uma matéria que não é de opção política. É uma questão em que os políticos devem agir em função da melhor informação técnica disponível”, disse Antonio Costa na terça-feira.

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) tornaram pública a posição de que irão aguardar e agir em conformidade com as decisões do CNSP sobre um eventual encerramento de estabelecimentos de ensino superior.

A ministra da Saúde, Marta Temido, adiantou, em conferência de imprensa na terça-feira, que a reunião do CNSP servirá também para avaliar a evolução epidemiológica das infeções com o novo coronavírus, que provoca a Covid-19.

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga